Contas Abertas questiona manobra do TCDF

O desprezo que a presidente do Tribunal de Contas do DF, Anilceia Machado, demonstrou pela opinião pública e por uma representação apresentada pela Associação Contas Abertas foi denunciado pelo presidente da entidade, Gil Castello Branco, em ofício ao Ministério Público de Contas.

Protegida pela vitaliciedade e pelo medo que distritais, autoridades do Executivo e alguns órgãos de imprensa têm do TCDF, Machado — ex-distrital, o que explica muita coisa — apressou o pagamento de R$ 1,6 milhão aos conselheiros (incluindo ela própria), a título de auxílio-moradia retroativo. À Contas Abertas, que pediu o não pagamento, alegou que a representação perdeu o objeto, pois o dinheiro já está na conta dos privilegiados.

Castello Branco protestou: a representação não poderia ser julgada pela presidente do TCDF, por ser a praticante do ato impugnado, e é absurdo o tribunal considerar que o questionamento de um pagamento irregular perca o objeto com a consumação da irregularidade.

E são esses que julgam as contas públicas…

Leia também

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *